A verdade vencerá – O povo sabe por que me condenam

apresentação: Luis Fernando Verissimo
prefácio: Luis Felipe Miguel
textos: Eric Nepomuceno / Rafael Valim
orelha: Luiz Felipe de Alencastro
co-organizador: Ivana Jinkings, Gilberto Maringoni, Juca Kfouri, Maria Inês Nassif
selo: BOITEMPO EDITORIAL
páginas: 216
formato: 23cm x 16cm x 0cm
ano de publicação: 2018

R$ 35,00

Sobre o autor

Luiz Inácio Lula da Silva

Um livro necessário, uma leitura urgente. Diante de uma perseguição política sem precedentes, Lula lança livro para contar a sua versão da história.

 

O coração da obra são as 124 páginas, de um total de 216, que apresentam um retrato fiel do ex-presidente no presente contexto em formato de uma longa entrevista concedida aos jornalistas Juca Kfouri e Maria Inês Nassif, ao professor de relações internacionais Gilberto Maringoni e à editora Ivana Jinkings, fundadora e diretora da editora Boitempo. Foram horas de conversa aberta e sem temas proibidos, divididas em três rodadas, que aconteceram no Instituto Lula, em São Paulo, nos dias 7, 15 e 28 de fevereiro.

Entre os principais temas discutidos, ganha destaque a análise inédita do ex-presidente sobre os bastidores políticos dos últimos anos e o que levou o Partido dos Trabalhadores a perder o poder após a reeleição de Dilma Rousseff. Lula também fala sobre as eleições de 2018 e suas perspectivas e esperanças para o País.

Organizada por Ivana Jinkings, com a colaboração de Gilberto Maringoni, Juca Kfouri e Maria Inês Nassif – e edição de Mauro Lopes –, a obra traz ainda textos de Eric Nepomuceno, Luis Fernando Verissimo, Luis Felipe Miguel e Rafael Valim. Além disso, a edição é acrescida de uma cronologia da vida de Lula, organizada pelo jornalista Camilo Vannuchi, texto de capa do historiador Luiz Felipe de Alencastro e dois cadernos com fotos históricas, dos tempos no sindicato à presidência, passando pelas recentes caravanas e manifestações de rua.

Avaliações

Não há avaliações ainda.

Seja o primeiro a avaliar “A verdade vencerá – O povo sabe por que me condenam”

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *