dark deleuze: à morte desse mundo

prefácio à edição brasileira: Andrew Culp
edição, projeto gráfico e diagramação: GLAC edições
tradução: Camila de Moura
preparação: Gustavo Motta
revisão: Lia Urbini
original: University of Minnesota Press, 2016, título: Dark Deleuze
ISBN: 978-65-80421-06-0
ano: maio de 2020
páginas: 160

R$ 43,00

Fora de estoque

Categoria:

gilles deleuze é considerado um pensador de declarações jubilantes e rizomáticas. neste livro, no entanto, demonstra-se que esse “cânone da alegria”, que no passado parecia ser radical, atualmente perdeu sua resistência própria. o autor investiga uma rede oculta de referências à conspiração, rueldade, terror ao exterior e a vergonha de ser um ser humano para reinterpretar e reavivar a oposição de deleuze a tudo o que é intolerável neste mundo: o próprio mundo. andrew culp define seu projeto como uma crítica sem concessões ao “cânone da felicidade que celebra deleuze de maneira naïf como um pensador afirmativo da conectividade”. interpretações alegres se concentram na liberação de fluxos, no devir e na transversalidade, em rizomas e cismas, mas na realidade tudo o que podem fazer é repetir a linguagem da revolução molecular quando, como aponta tiqqun, “a revolução foi molecular e a contrarrevolução também”. O argumento é que a tese de conectividade do Google tipifica uma abordagem popular às redes que contribui ainda mais para uma cultura de felicidade obrigatória, por um controle descentralizado e pela impassível superexposição.

Avaliações

Não há avaliações ainda.

Seja o primeiro a avaliar “dark deleuze: à morte desse mundo”

O seu endereço de e-mail não será publicado.